sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Administre melhor o seu tempo com 5 dicas preciosas

As festas de fim de ano chegaram, e o recesso também. Com toda a correria desse período, é preciso disciplina para não se atrapalhar com os eventos e tarefas que surgem de última hora, sem deixar de lado as
atividades que fazem parte da sua rotina.
Pensando nisso, a FGV-EAESP separou 5 dicas do especialista em gestão do tempo, Christian Barbosa, para ajudar você a administrar melhor o seu tempo:

1- Faça uma lista 

Anote o que você ainda precisa realizar. “É preciso saber exatamente o quão atrasado o profissional está”, ensina Barbosa.
Você pode dividir em duas colunas: escreva as atividades relacionadas ao trabalho em uma e na outra, comprar presentes para familiares, por exemplo.

2- Classifique as demandas
É muito importante separar as atividades que são urgentes, importantes ou circunstanciosas, nessa lista entram tarefas que devem ser feitas imediatamente. Em seguida, as importantes, que vão trazer resultado,
mas podem esperar.
Tarefas que não vão interferir em nenhuma outra devem ficar no final da lista.

3- Calcule o tempo necessário para riscar um item da lista
O terceiro passo é tentar prever quanto tempo leva para que cada atividade seja concluída. Anote e, ao fim, calcule quantas horas serão necessárias para riscar todos os itens da lista.

4- Distribua as atividades no seu dia a dia
Depois de fazer os cálculos, você chegou ao número de 40h de tarefas acumuladas, por exemplo, se distribuir 4h para cada dia da semana, em duas semanas as pendências estarão resolvidas.

5- Refaça a lista se necessário
E se a tarefa que você achou que demoraria uma hora para resolver se transformou em outras várias tarefas? Coloque todas as atividades no papel, classifique, calcule e distribua todas outra vez.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

FGV, em parceria com o Você S/A sugere onde investir seu dinheiro

O Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas, em parceria com a Você S/A, rankeia 400 fundos de investimento pelo décimo ano consecutivo, e ajuda você a repensar sua carteira de investimento ou desenvolver novas estratégias para aumentar seu dinheiro.
A seleção começou a ser feita com a escolha dos fundos abertos a pessoas físicas e direcionados ao varejo, e que se encaixassem nos seguintes critérios:

1. Ter cinco ou mais cotistas;

2. Ter taxa de administração igual ou maior do que 1%;

3. Ter investimento mínimo menor ou igual a 50 000 reais;

4. Ter 5 milhões de reais em patrimônio ou mais.

Em seguida, os fundos foram classificados de acordo com sua natureza e reunidos em dois grupos:
Fundos Passivos - São aqueles que acompanham o rendimento de um determinado índice de referência,
como o Ibovespa. Os fundos foram analisados de acordo com sua aderência ao índice. Fundos Ativos - É o índice de investimento que se propõe a ter uma rentabilidade superior aos seus referencias no mercado. Eles foram analisados de acordo com a relação entre o retorno e o risco, conhecido como Índice de Sharpe Generalizado (ISG).
O último passo foi conferir as estrelas:

5 estrelas - Os 10% melhores fundos

4 estrelas - Os 15% fundos seguintes

3, 2 e 1 estrela - Cada bloco seguinte da lista

Quer conferir a tabela completa? Veja aqui.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Estudo da FGV mostra que Cesta de Natal subiu menos que inflação em 2011

De acordo com estudo realizado pela FGV, a Cesta de Natal com os 13 principais itens da ceia custa R$171,65 se comprada hoje, aproximadamente R$ 10 a mais do que no ano passado. Apesar do aumento, o valor que subiu 5,98% nesse ano ficou abaixo da inflação acumulada ao longo do ano (que chegou a 6,3%, de acordo com Índice de Preços ao Consumidor - IPC).
André Braz, economista da FGV e responsável pelo estudo, afirma que mesmo o aumento dos preços da alimentação contribuindo significativamente para a inflação acumulada ao longo do ano, os produtos da ceia de Natal seguiram tendência contrária. “As famílias não vão estranhar muito esses preços no supermercado, mas a pesquisa é uma média, por isso é importante fazer uma pesquisa de preços, pechinchar e verificar a qualidade dos produtos”, orienta André Braz.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Você sabe como funcionam os cargos e carreiras no setor público?

Não é de agora que solicitamos mais eficiência da gestão pública, muitas vezes esperando a mesma qualidade do setor privado. Mas será que não seria o caso, então, de também pensar em maneiras para motivar mais esses profissionais?
De acordo com a Constituição de 1988, ao ingressar no quadro da instituição pública por meio de concurso público, o profissional não poderá mudar de cargo independente do contexto. Ou seja, se ele ingressar em um cargo de nível médio e optar em seguida por cursar um nível superior, só poderá trocar de cargo se passar em um outro concurso público.
O cenário dificulta o trabalho da gerência, que enfrenta dificuldades em administrar o seu quadro de pessoal, e desmotiva o profissional que não tem mobilidade em sua carreira. Uma saída seria a lei permitir uma forma mista de suprir as vagas de cargos ou empregos para inibir de alguma forma a ineficiência que identificamos em diversos momentos na administração pública.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Turbine o inglês em poucas semanas

Para aprender línguas e fazer intercâmbio não são necessárias muitas semanas disponíveis e nem gastos homéricos. É apenas exigido disciplina, disposição e um pouco de investimento.

Com a rotina muito conturbada e cada vez mais atarefada, muitas universidades têm oferecido cursos mais curtos e acessíveis para estrangeiros. A gerente de cursos no exterior do STB, Márcia Mattos, explica que este é um período mais fácil para negociar banco de horas e folgas para investir em educação.
Outra vantagem e, principalmente nesta época de final de ano, é que os cursos saem, pelo menos, 20% mais baratos do que em outras épocas do ano.

Atualmente, um dos destinos mais procurados é a Inglaterra.

Cidade: Bedgebury
Escola: Bell
Curso: Christmas Course
Duração: Duas semanas - de 18 de dezembro a 1º de janeiro de 2012
Carga horária: 30 horas de aula, incluindo conversação e passeios tutoriados
Acomodação: Residência estudantil em quarto individual
Preço: a partir de 1.600 libras + 288 reais (taxa de matrícula STB). Os valores incluem o curso, acomodação, todas as refeições, entrada no Leeds Castle e excursões para Londres e Cantebury

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Dicas para melhorar sua viagem de trabalho

Viajar é sempre bom e relaxante, mas viajar a trabalho envolve outros tipos de questionamentos e prioridades. Listamos dicas pontuais para facilitar a organização de sua viagem.

1) Faça check-in pela web ou recorra as “fidelidades” das empresas. Isso minimiza filas e possíveis estresses enfrentados nos aeroportos.
2) Leve apenas a bagagem necessária para a sua estadia e trabalho.

3) Faça um “backup” de seu voo. Deixe tudo organizado para, se perder o voo, você ter como embarcar no próximo ou para o caso de ter que fazer uma antecipação.

4) Carregue o notebook, iPad, iPhone e derivado. Caso haja atrasos e outros imprevistos, é possível trabalhar ou mesmo se distrair.

5) Faça um check-up das bagagens no aeroporto.

6) Roupas bem arrumadas e organizadas levam menos tempo para serem desamassadas.

7) Quem passa muitas horas viajando, não tem tempo e muito menos disposição de passar pelos raio-x. Evite roupas, sapatos e bolsas com muitas fivelas.

Apesar de ser a trabalho, você está viajando, portanto, divirta-se. Aproveite os momentos de ócio para descansar e passear.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Aplicativos de celular que ajudam a economizar

E quem ainda duvida que os smarthphones vieram ao mundo para fazer a diferença, verá mais uma novidade. Celulares com sistema Android, do Google, ou iPhone, da Apple, contam com recursos que auxiliam o controle financeiro de seu usuário.
Os aplicativos são verdadeiros consultores financeiros que calculam todos os gastos contabilizados, incluindo o pagamento da fatura do cartão de crédito.Quando o usuário gasta demais, o aplicativo alerta sobre o risco e consequências para o seu bolso.
Mas é claro que o aplicativo em si não é suficiente. O usuário tem que dedicar parte do seu tempo para checar seus gastos e saldos, caso contrário o serviço se torna ineficiente.
Para os Androids, os melhores aplicativos são Controle Financeiro, Easy Money e Finanças Pessoas. Já para o iPhone, Finance Mobile, Finance e Orçamento Inteligente são boas opções.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Você é melhor do que você pensa.

Foi com essa máxima que o professor Luiz Carlos Cabrera, reconhecido por seu trabalho na área de gestão de pessoas, conduziu a palestra da aula inaugural aos estudantes do curso.
O atual cenário de competição global, a empregabilidade e sua maximização por meio de ações pessoais no decorrer da carreira foram destacados pelo palestrante. Ele cita que o MBM agrega exatamente esse enfoque para aperfeiçoar as competências adquiridas no decorrer da vida e, principalmente, desenvolver- a partir de então- resultados positivos.
Nesse sentido, indica o professor Cabrera, há uma inversão positiva de papéis, na qual a posição de ser o “escolhido pelas empresas” dá lugar à possibilidade de então escolhê-las.
Acesse e assista ao vídeo da palestra do professor Luiz Carlos Cabrera na íntegra.


Para o final de ano – cursos de atualização rápida

Quem acha que férias é só sinônimo de descanso e de ficar bem afastado dos estudos está muito enganado. Para quem busca dar um up no currículo, há boas sugestões de curso de atualização rápida no exterior. Ou seja, além de estudar é possível fazer uma viagem incrível.
Para quem já domina níveis avançados de inglês e deseja ampliar a visibilidade profissional em cursos de extensão no exterior, há boas opções nas áreas de business management, marketing e até formação de atores. De acordo com o gerente de marketing do STB, Samuel Lhoyd, ter este tipo de experiência no currículo permite que se atue mais diretamente no mercado global, além de valorizar muito o currículo perante ficar com o currículo empresas multinacionais ou ainda em processos de internacionalização.
Você sabia que a FGV-EAESP possui, além dos tradicionais inglês e espanhol, parcerias para cursos de línguas como alemão, italiano, francês, hebraico e japonês? São mais de 50 parcerias com universidades para graduação e mais de 60 para pós-graduação.
Dentre algumas parceiras para a graduação, temos inglês na universidade New York Univesity, espanhol na Universidad Torcuato Di Tella, italiano na Bocconi e francês na Universite Paris Dauphine. Para pós-graduação, você pode estudar alemão ou inglês na Wirtschaftsuniversitat Wien que fica na Áustria, japonês na Tsinghua University, entre outras opções. 

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

FGV-EAESP e Citibank fazem parceria por inovação

O Citibank e o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVCes) fecharam uma parceria que visa fortalecer o programa de Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor. O intuito do programa é promover a cooperação entre micros, médias e grandes corporações, desenvolvendo produtos, serviços e modelos de negócios sustentáveis e inovadores.
O objetivo da parceria é deixar as empresas, não importa o seu tamanho, ainda mais conscientes em relação as emissões de carbono na atmosfera, uso de água e o uso de alternativas mais sustentáveis em sua rotina.
De acordo com o coordenador da GVCes, Mario Monzoni, esta será uma forma de trazer pequenas discussões para sustentabilidade.
A ideia é que, com o tempo, as corporações façam um networking de seu aprendizado e passem isso para frente.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Coaching Executivo: o que é?

Com a grande competitividade, a busca e pressão por resultados, a disputa por talentos e a procura por equilíbrio entre carreira e vida pessoal, a prática de “coaching” ganhou força nos últimos tempos, especialmente em economias emergentes, como o Brasil, que vive um intenso movimento de fusões e aquisições, expansão de negócios e movimentação econômica.
Hoje, o coaching é empregado em diversos programas de treinamento e aconselhamento. Um novo mundo se abriu para amadores e aventureiros que aprendem técnicas ou metodologias, e usam a vivência para estruturar pensamentos. O “coach” precisa ter experiência no desenvolvimento de pessoas, construir relacionamentos, entender contextos, alinhar expectativas e ser capaz de aprender não só com a própria experiência, mas também com a dos outros.
Com o objetivo de desmistificar conceitos e resgatar a essência dessa técnica, o livro “Coaching Executivo – Uma Questão de Atitude” foi escrito. Com prefácio de Jonh Davis e apresentação de Luiz Carlos Cabrera, o livro tem autoria de três dos mais experientes profissionais de recursos humanos e consultores de mercado: Vick Bloch, professora da FGV-EAESP, João Mendes e Luiz Visconte.
Para saber mais detalhes sobre o assunto, acesse.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Institucional: Gestão moderna traz ganho para pacientes em hospitais

Práticas modernas de gestão estão sendo utilizadas em hospitais privados para ganhar eficiência, qualidade e segurança. Isso porque a administração é a alma do negócio e em meio a um mercado tão competitivo, os diferenciais resultam em preferência por parte dos usuários.
A realidade dessa mudança, nos princípios administrativos das instituições de saúde, é cada dia mais usada. “Essas preocupações, aliadas à redução de custos, são as grandes questões do setor de saúde no mundo todo, e isso só é possível com reformas de gestão”, diz Álvaro Escrivão Junior, coordenador-adjunto do curso de Especialização em Administração Hospitalar e de Sistemas de Saúde da Fundação Getulio Vargas de São Paulo.
O curso, único no Brasil nessa área acreditado pela Association of MBAs (Amba), é um indicador de agenda atual do mercado de saúde. “Os hospitais vivem um franco processo de profissionalização” diz Carlos Alberto Marsal, superintendente de controladoria e finanças do hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.
As modernas práticas de gestão hospitalar resolvem problemas de atendimento, especialmente nas áreas de emergência, terapia intensiva e cirurgia. Com isso, os serviços ficam mais ágeis e o resultado é uma administração muito melhor e a satisfação notória por parte dos pacientes.
Veja a matéria completa sobre essa nova tendência.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Institucional: MBA no Brasil atrai estrangeiros

Nos últimos tempos, a procura de estrangeiros por cursos de MBA no Brasil aumentou. O modo como o país enfrentou a crise econômica e a intensificação da turbulência nos mercados europeu e norte-americano têm trazido profissionais em busca de aperfeiçoamento e novas experiências.
Na FGV-EAESP, o número de estrangeiros matriculados foi de 151 para 333, o que representa um aumento de 120% entre 2008 e 2011. “O Brasil é conhecido como país de oportunidades de negócio”, afirma a professora Julia von Maltzan Pacheco.
A escola (FGV-EAESP) oferece cursos ministrados totalmente em inglês para profissionais de outras nacionalidades. O italiano Francesco Losurdo, 22, administrador de empresas, está matriculado em um deles. “Meu pai queria que eu estudasse nos Estados Unidos, mas, no “business”, faz mais diferença a experiência em uma economia emergente.” Por isso, seu intuito é ficar no Brasil até 2016 e “explorar as oportunidades do mercado”.
Para saber todos os detalhes do assunto, acesse.

Prêmio Empreendedor de Sucesso


No último dia 30, o Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getulio Vargas (FGV-CENN), em parceria com a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, realizou a entrega do Prêmio Empreendedor de Sucesso 2011.
Em sua quinta edição, o evento contou com o patrocínio da Redecard e da Microsoft, e teve como grande campeão o portal Minha Vida, que levou o prêmio nas categorias Empreendedor do Ano e Empreendedor Digital.
O site, que possui sua sede em São Paulo, fornece informações e serviços relativos a saúde, beleza, fitness e bem–estar e deve faturar no ano de 2011, R$ 18 milhões. Além do site, a noite premiou as empresas Tecno Logys, Pixellabs, Boo-Box, Sollidarium, Biocod e 4Bio.
Em tempos de novos empreendimentos e grandes ideias, a FGV-EAESP parabeniza os vencedores do prêmio, que mostraram que inovar com qualidade e dedicação faz toda a diferença em um negócio.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Conheça o programa 10.000 Mulheres


Hoje é o último dia para fazer a inscrição no Programa 10.000 Mulheres. Para quem não conhece o projeto, a Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) e o IE Business School, renomada escola espanhola de gestão, desenvolvem o projeto 10.000 Women, patrocinado pelo banco de investimentos Goldman Sachs.

O projeto desta parceria dará oportunidade de atualização profissional a dez mil mulheres, ao longo de cinco anos, em todo o mundo. No Brasil, mil mulheres poderão participar do programa. No decorrer das aulas, as alunas contarão com lições de empreendedorismo e serviços de apoio ao empreendedor para que alavanquem os seus negócios. Oportunidade única para as empreendedoras!

O programa 10.000 Mulheres na FGV é coordenado pelos professores Maria José Tonelli e Tales Andreassi.

As aulas serão ministradas na FGV da Nove de Julho, às sextas feiras e sábados, durante 3 meses, das 9h às 18h. A seleção será feita pela FGV-EAESP e o curso será 100% gratuito para todas as aprovadas no processo seletivo.

Se você possui um negócio e quer se atualizar, corra e faça a sua inscrição. Para mais informações acesse o site. Boa sorte!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Confira os aprovados na pós-graduação

A Escola de Administração de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP)
tem o prazer de divulgar os aprovados em seus processos seletivos na  Pós-Graduação MBM, CEAGCEAHS.

Para conferir os aprovados, basta acessar o link do processo seletivo.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O ensino a distância e seus desafios

O ensino a distância é uma prática que vem crescendo cada dia mais no Brasil. Na última década, as matrículas cresceram de 5,3 mil para 838,1 mil, de acordo com estatística divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Hoje conhecido como e-learning, pelo uso da tecnologia, o ensino a distância se tornou objeto de estudo por parte de especialistas em Pedagogia. Mas até que ponto o ensino presencial pode ser substituído pelo aprendizado remoto, com ganhos potencialmente expressivos para todos os lados envolvidos?

O coordenador dos cursos de especialização da Escola de Administração da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), José Ernesto Lima Gonçalves, diz que o e-learning é a oportunidade de levar os cursos da FGV-EAESP a lugares em que seria impossível disponibilizá-los de outra forma.

Essa tendência e a discussão sobre o melhor formato caminha para o chamado blended learning, no qual
os momentos que exigem a troca de experiência entre alunos ocorrem presencialmente, e as etapas que dependem da dedicação individual podem ser cumpridas a distância.

Para saber mais sobre o ensino a distância e os cursos mais procurados nesse método, leia na íntegra o artigo “Tecnologias estimulam maior interação”, do Valor Econômico.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Estrangeiros investindo em novos negócios

O investimento de capital estrangeiro tem sido cada vez mais frequente no Brasil. Isso porque empresários e empreendedores começaram a visar não só os bons frutos que o território nacional tem a oferecer, mas também as lacunas que podem ser preenchidas.
De acordo com um levantamento do Centro de Estudos em Private Equity e Venture Capital da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), o montante de recursos de fundos estrangeiros destinado às companhias iniciantes no Brasil chegou a US$ 2,5 bilhões no ano de 2009.
Uma empresa que tem ganhado destaque no mercado é a Baby.com.br, empresa eletrônica que vende produtos para bebês pela internet e com entrega em até 72 horas, com frete grátis. Os empresários americanos Kimball Thomas e Davis Smith perceberam o “furo” que poderiam dar no mercado daqui, visto que esta é uma novidade para o Brasil.
Outra grande sacada que os americanos tiveram foi convidar uma mãe-modelo para investir no negócio.
Angélica é uma das sócias do site.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Professor da FGV-EAESP fala sobre o Black Friday brasileiro

Nos Estados Unidos, o tão esperado Black Friday acontece todos os anos no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças e é marcado por grandes descontos de até 80%. Este ano, a tradição do Black Friday pegou também aqui no Brasil, em algumas lojas do setor de varejo. Maurício Morgado, economista, professor da FGV-EAESP e especialista em varejo e marketing, falou sobre
o assunto em entrevista a rádio Band News.

Maurício disse que o Black Friday brasileiro é vantajoso para o varejo pois elimina a sazonalidade do mês de dezembro. Ou seja, com os gastos feitos no mês de novembro, as pessoas consomem menos no mês de dezembro, ajudando o operacional das lojas. Além disso, com as compras do Black Friday, é possível preparar melhor o estoque de natal, uma vez que, com as aquisições do fim de novembro, os estoques praticamente acabam.

O professor ainda disse que as redes varejistas que apostaram no Black Friday brasileiro, saíram na frente da concorrência, pois já adquiriram um pouco do dinheiro que o consumidor planejava gastar no Natal.

Para o consumidor, as vantagens e os descontos também foram bons, porém, o professor ressalta que os consumidores devem ter cuidado para não comprometer o orçamento do Natal e do fim e do começo do ano, depois das compras do Black Friday. Isso pode gerar um endividamento inesperado e difícil de suportar.

Para saber mais sobre a tendência do Black Friday brasileiro, acompanhe a entrevista completa do professor da FGV-EAESP na Rádio Band News.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Segredo para empreendedorismo pode estar na universidade

Ronald Degen é um executivo e acadêmico que é reconhecido por ser o primeiro a trabalhar com o conceito de empreendedorismo no Brasil. Ne década de 80, ele introduziu o primeiro curso de
empreendedorismo na FGV.

O ex-professor da FGV-EAESP também é o autor do best-seller “O Empreendedor: fundamentos
da iniciativa empresarial”. Segundo ele, atualmente, todos nós nascemos mais ou menos iguais,
e o que acaba nos diferenciando são nossas experiências. E por isso que, segundo o executivo,
é de extrema importância ter em mente que qualquer um pode se tornar um empreendedor, não
existe um momento certo para isso, apenas é importante aproveitar as oportunidade que surgem,
especialmente enquando estiver na universidade.

Degen concedeu uma entrevista exclusiva para a Revista Época Negócios. Confira as melhores
dicas do executivo.

Revista Época: Qual a importância do empreeendedorismo para a sociedade?
Ronald: No mundo todo, a máquina que faz girar a economia são novos negócios. Os EUA
cresceram através de seus empreendedores. A revolução industrial foi feita por empreendedores. É
do empreendedorismo que surge a geração de riqueza, de novos produtos, de novas ideias. Quando
dava aulas na FGV, começava o curso dizendo que a desigualdade social fazia do Brasil um país
insustentável. Perguntava aos alunos se eles gostariam de ficar milionários. E dizia: pois fiquem, é
importante, porque se vocês ficarem milionários vão gerar empregos, riqueza e ajudar a desenvolver
o país.

Revista Época: Existe uma idade ideal para começar a empreender?
Ronald: As coisas que mais afetam a decisão de se lançar como empreendedor são as obrigações
financeiras e as obrigações familiares. Quando você sai da universidade, arranja um emprego,
casa e tem filhos, você vira escravo do salário. E aí você largar tudo para montar um negócio
incerto, tendo que pagar a escola dos filhos .... acabou. Por isso que eu digo que existe uma janela
de oportunidade na universidade. Não é à toa que é de lá que saem grandes ideias. A Apple e o
Facebook, por exemplo, surgiram no ambiente da faculdade.

Revista Época:Existe alguma cultura que se destaque mais por formar empreendedores?
Ronald: Infelizmente, a cultura anglo-saxã neste ponto é mais favorável do que a latino-americana.
Você já deve ter visto filmes americanos onde as crianças preparam limonada para vender,
aprendem a cortar a grama do vizinho para ganhar dinheiro e distribuem jornal. E isso é muito
comum lá, mas não é aqui. E sabe por quê? Aí vem o problema da diferença social. Trabalho
manual no Brasil é considerado para pobre. Se você distribuir jornal aqui, você vai ganhar muito
pouco. Não vale a pena para você ‘sujar suas mãos’. E o que seus amigos iriam falar de você se eles
te vissem distribuindo jornal ou se você decidisse trabalhar como sacoleiro? Essa diferença social
faz com que a sociedade brasileira não queira ‘sujar as mãos’. E, infelizmente, para montar um
negócio é preciso sujar as mãos.

Revista Época:E qual você diria que é o ponto forte dos brasileiros?
Ronald: Os brasileiros são bons chutadores. O que eu quero dizer com isso é que uma certa
irresponsabilidade é bom. Os brasileiros arriscam mais. Se você pegar um operário brasileiro,
ele está muito mais disposto a assumir riscos. Ele diz vamos tentar. Os alemães, por exemplo, se
não conhecem determinados negócios, dizem não conheço, não sei. O brasileiro vai tentar dar um
jeitinho. E esse jeitinho muitas vez dá certo.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O sucesso no risco

Os empresários João Luiz Pereira Filho e Caio Zenatti têm uma maneira peculiar de fazer investimento. Eles compram "empresas de R$ 1", ou seja, empresas que estão em situação financeira de risco mas que, com um pouco de investimento, têm grandes chances de recuperação.

Os jovens de 25 anos optam por companhias que estão comprometidas devido a má gestão. A aquisição delas não envolve grandes investimentos. Normalmente, o pagamento é assumir o risco de falência, das dívidas e do desafio de mudança de gestão.

Para ler a matéria na íntegra, acesse o link do Valor Econômico.

João Luiz e Caio atualmente estão se especializando no MBM da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP).

Ambos são graduados em Administração de Empresas também pela Fundação.

Educação Ambiental e os administradores

Você sabia que os administradores estão entre os profissionais que causam mais impactos ambientais? O professor da FGV-EAESP, João Carlos Barbieri, em parceria com Dirceu da Silva da Unicamp/Uninove são os autores da obra “Educação Ambiental – na formação do administrador”.
O livro apresenta um quadro de referências sobre a Educação Ambiental, de um modo geral e, em especial, para os administradores atuais e os que estão se preparando para exercer essa profissão. Esta pode ser a oportunidade de qualificação que falta para o seu currículo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Intercâmbio depois dos 30

E quem falou que fazer intercâmbio é apenas coisa de estudante? Um levantamento da empresa de intercâmbios STB revelou que nos últimos três anos houve um acréscimo de 30% na procura de cursos no exterior por pessoas acima dos 30 anos.

Segundo o gerente do Programa de Trabalho do STB, Fred Morais, o principal objetivo é lapidar o inglês, adquirir mais cultura e complementar a formação profissional. Outra característica é que o adulto é bem mais exigente em relação a privacidade, networking e moradia.

É bem importante ter claro alguns objetivos da viagem, por isso fique atento a algumas dicas abaixo:

Roteiro e viagem: Se sua empresa estará financiando o seu estudo, é aconselhável que você tente ir para algum destino que lhe agrade. E também que alie o seu intercâmbio com as suas quatro semanas de férias.

Acomodação e escola: Optar por residência estudantil ou alugar um apartamento garantem privacidade, porém são bem mais custosos do que se hospedar em casa de família, por exemplo. Se a sua intenção é aliar o curso com curso de business, marketing, gastronomia ou artes, saiba que a viagem pode sair ainda 20% mais cara.

Networking: Se o seu objetivo é fazer um intercâmbio que possa lhe render contatos profissionais, é recomendável que procure cursos em escolas diferenciadas, como Harvard. Outra importante dica é viajar fora do período de férias escolares.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Brasileiros, os mais empreendedores

Um pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM) apontou que o Brasil é o país com maior taxa de empreendedorismo do G20, o grupo que reúne as maiores e mais influentes economias do mundo.

De acordo com o levantamento, há cerca de 21 milhões de brasileiros (o correspondente a 17,5% da população) com o seu próprio negócio em estágio ainda inicial, com cerca de três anos e meio. O comparativo foi com países como Estados Unidos, que apresenta 7,5%, e China, que liderava o ranking até o ano passado, com 14,4%.

O estudo ainda aponta que o investimento inicial para abrir o próprio negócio gira em torno de 10 mil reais; apenas a minoria (20%) gastou mais de 30 mil. A cada 100 novos empreendedores, 25 deles são varejistas.

Apesar das estimativas positivas, o empreendedor enfrenta algumas dificuldades em ter seu próprio negócio em território nacional. “No Brasil, o desafio do empreendedor é maior que nos outros países”, declarou o professor da FGV-EAESP, Samy Dana. Ainda segundo ele, aqui há maior burocracia e altas taxas de juros.

A pesquisa revela que as características do perfil empreendedor brasileiro são criatividade, ousadia, dedicação, dinamismo, competências, otimismo e persistência.

O Brasil é, atualmente, considerado um dos países mais rentáveis do mundo, segundo o Endeavor.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Liderança na Prática reúne mais de 800 universitários em sua primeira etapa

A Consultoria Júnior Pública da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) está promovendo o Liderança na Prática, um programa constituído de uma série de workshops nos quais líderes empresariais compartilham suas histórias e experiências. Só em suas primeiras três etapas, o evento reuniu mais de 800 universitários.

Os alunos que participaram puderam acompanhar de perto o trabalho e conquistas de renomados empresários, como o presidente do Alpargatas, Marcio Utsch, o fundador e presidente da Localiza, Salim Mattar e o fundador e CEO do Buscapé, Romero Rodrigues. Acompanhe depoimentos sobre o evento pelo link.


O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas. Não perca a chance e inscreva-se pelo site.

A vantagem das juniores

As empresas juniores surgiram na França, em 1967, como uma alternativa de consultoria para micros e pequenas empresas. Desde a sua criação, as juniores apresentam uma relação de custo-benefício muito positiva e, por isso, cada dia mais têm chamado a atenção de empreendedores que buscam aprimorar o seu negócio.

Para contratar uma empresa júnior basta ir atrás de alguma universidade que ofereça este tipo de serviço. A partir disso, é avaliado a viabilidade, ou seja, possibilidades de execução, custo, consultores envolvidos no trabalho e a duração do serviço. A principal vantagem deste tipo de empresa é que o valor do serviço cobrado é bem inferior do que o do mesmo recurso oferecido pelo mercado.

As primeiras empresas juniores do Brasil apareceram por influência francesa. Uma das pioneiras foi a EJ-FGV, da Fundação Getulio Vargas, criada em 1988. Hoje, há cerca de 600 empresas juniores no Brasil, de acordo com dados da Federação das Empresas Juniores de Minas Gerais

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Aumento na jornada de trabalho

Ao que tudo indica, a relação entre o bom momento que a economia se encontra agora e as boas oportunidades de emprego surgindo pelo mercado estão diretamente relacionados com maiores jornadas de trabalho, segundo uma pesquisa divulgada pela Asap.

De acordo com a pesquisa, nos últimos cinco anos 69% dos profissionais tiveram a sua jornada de trabalho estendida, sendo 26% dos entrevistados com 3 horas a mais e a metade com pelo menos 2 horas extras por dia. O expediente que deveria ser de 8 horas por dia tem, para 57% dos entrevistados, ao menos 10 horas por dia.

O motivo para este acréscimo está relacionado a ocupação de cargos com nível hierárquico maior, e por isso o aumento na jornada de trabalho. “Estamos vivendo um momento de busca por resultados, mas as empresas nem sempre têm pessoas preparadas para assumir determinadas funções”, declarou o sócio-gerente da Asap, João Paulo.

Por necessidade de maior dedicação, exigências e, em alguns casos, incompatibilidade do cargo assumido, há uma imposição maior do nível de experiência e qualificação.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A Energia de fonte sustentável e os pequenos produtores

A energia de fonte sustentável não só reduz a emissão de gases poluentes mas também contribui com a resiliência do suprimento energético nacional, com a pulverização de produtores. O grande desafio do Brasil é manter uma das matrizes elétricas com maior participação das fontes renováveis no mundo (82,19%) pelos próximos 20 anos e ainda proporcionar a oferta necessária para uma taxa de crescimento econômico de 5% ao ano.


Ao falarmos em planejamento energético nacional, ouvimos muito sobre o baixo impacto ambiental e de um potencial de expansão nada desprezível, mas não podemos esquecer de um grupo responsável, hoje, pela produção de 8% da capacidade instalada da matriz energética do País: os pequenos e médios produtores. Ao analisar esse planejamento, é fácil perceber que há um grande risco da pulverização do investimento entre esses produtores. A geração é de pequena escala, mas isso não significa que estamos falando de pequenos empresários, já que o grupo é formado por aqueles que investem em usinas de pequeno e médio porte, com custos de instalação menores. E essa escala corresponde à maior parte do universo das energias alternativas modernas, como pequenas centrais hidrelétricas, usinas de queima de biomassa e aproveitamento do gás metano de lixões e aterros urbanos. Algumas dessas fontes podem ter um desempenho futuro superior até ao dos grandes projetos de hidrelétricas, como Belo Monte, no Pará, e Santo Antônio e Jirau, em Rondônia.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Gasolina sem chumbo - ecológica, sustentável e econômica

O Protocolo de Montreal, que praticamente baniu os gases que destroem a camada de ozônio, é uma das poucas conquistas efetivas para o meio ambiente. No momento, o foco ambiental é em outra vitória: a extinção da gasolina aditivada com chumbo tetraetila.

Em países como os Estados Unidos e outros países desenvolvidos, ela foi sendo eliminada, gradativamente, na década de 80. No Brasil, em 1989 praticamente já não se adicionava o chumbo à gasolina. Hoje, essa prática está proibida em 175 países.

De acordo com a California State University, adição do chumbo à gasolina pode ser associada a redução da capacidade intelectual infantil e a doenças cardiovasculares.

A medida já economizou US$2,4 trilhões.

 Fonte: Página 22

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Diretora da FGV-EAESP fala sobre importância do MBA da Fundação

A diretora da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), Maria Tereza Fleury, concedeu uma entrevista exclusiva à Revista Harvard Business falando sobre o One MBA, curso da Fundação que apareceu em 23º lugar no ranking da Financial Times. Confira alguns trechos.

Diferencial do MBA da FGV – De acordo com Maria Tereza, esta categoria de MBA da Fundação é a única do Brasil a ser reconhecida e certificada com três acreditadoras internacionais (AACSB, EQUIS, AMBA).

O que um bom MBA deve oferecer? - “É preciso procurar o que há de melhor no mundo acadêmico e profissional para avaliar o conhecimento teórico e prático, por meio de diversas atividadades – muitas delas a partir de parcerias com grandes empresas nacionais e multinacionais”, explicou a diretora.

Qual o principal aspecto do One MBA da FGV-EAESP? - O One MBA é um dos cursos disponibilizados para top executivos, com a toda qualidade de um curso (CEAG) da FGV-EAESP, segundo Fleury.

A diretora da FGV-EAESP explica que o bom posicionamento do curso no mercado não é apenas fruto do interesse de brasileiros em trabalhar no exterior, ou vice e versa, mas também do alto nível e rigoroso processo de seleção, além da presença de professores qualificados.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Conheça os melhores MBA's Executivos de 2011

Os cursos de MBA Executivo são os mais próximos dos MBA's oferecidos pelas melhores universidades estrangeiras. O curso é destinado a profissionais, normalmente por volta dos 30 anos, que possuam bagagem gerencial e estejam em busca de troca de conhecimentos, reforço em certas habilidades gerenciais e melhoria de práticas no mercado. Além disso, cursar o MBA, hoje, se tornou sinônimo de liderança no mercado.

A Escola de Administração de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) tem um dos melhores MBA Executivos oferecidos no Brasil. Conheça algumas das 10 melhores opções de MBA's Executivos fora do Brasil que marcaram o ano de 2011.


A lista completa e mais informações sobre os cursos citados você encontra no link.

Você conhece o MBA Executivo em Administração de Empresas com ênfase em Gestão da FGV-EAESP?. Este pode ser o up que faltava em seu currículo.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O SWU e a sustentabilidade


O movimento de conscientização ambiental SWU (Starts With You), que aconteceu esse ano nos dias 12, 13 e 14 de novembro, em Paulínia, interior de São Paulo, foi muito mais que um evento de música com atrações internacionais, foi um festival de artes com foco na conscientização social, com o tema sustentabilidade, que está sendo cada vez mais comentado e valorizado, também, por empresas e corporações.

Uma recente pesquisa realizada pelo GVcev, da FGV-EAESP, avaliou 
um grupo de 315 profissionais de cargos variados de empresas de setores diversos da economia, sob o ponto “Sustentabilidade nas Organizações Brasileiras: Onde Estamos?”, para entender a percepção deles em relação à sustentabilidade. Ao analisar as respostas, foi constatado que “sustentável” deixou de ser um conceito relacionado apenas às questões ambientais. 

Prova dessa conscientização das empresas está no investimento que vem sendo feito em ações relacionadas ao tema, e o SWU é um grande modelo disso. A marca de roupas Levi's, por exemplo, levou o 
Levis Truck para o festival, com várias atrações, como um lounge com jogos de Band Hero para a galera e uma photobooth para deixar registrada a presença no SWU. Vale ressaltar que a montagem do caminhão é Carbon Free! Ou seja, a empresa neutralizou a emissão de carbono proveniente de sua montagem.

Outra marca presente no SWU foi a Melitta, líder no mercado de cafés embalados a vácuo e de coadores de papel, que além do cafezinho, apresentou vídeos mostrando as ações de sustentabilidade da companhia aos participantes, no Fórum de Sustentabilidade.

E você? Acha que as empresas estão, realmente, cada vez mais engajadas nessa causa e investindo o suficiente em ações sustentáveis?

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Redes sociais, um novo conceito de espaço


As redes sociais, de um modo geral, criaram uma nova maneira de se comunicar, interagir e, até mesmo, de gerir negócios. Foi a partir da criação delas que os indivíduos passaram a se organizar em diversos nichos sociais e, também, a compartilhar assuntos de seus interesses em nível local ou mesmo global.

Não só em relação ao interesse pessoal ou disseminação de conteúdos, as redes sociais também são grandes responsáveis pela reestruturação das estratégias de comunicação de micro, médias e grandes empresas, além de influenciar governos.

Magda David HercHeui, da Westminster Business School, afirma que as redes sociais desafiam as estruturas de comunicação tradicionais e a própria noção de espaço.
“As redes sociais afetam a estrutura de comunicação das organizações. Antes delas, estas organizações tinham mais controle sobre seus canais de comunicação. Agora, elas precisam interagir em espaços não mais sob seu controle. A interação com funcionários, em redes sociais fechadas, pode até ser tranquila, uma vez que fique claro que o espaço é institucional. No entanto, consumidores e grupos da sociedade civil podem se organizar como quiserem pelas redes sociais, forçando as organizações a entrarem em uma interação que não é mais, nem de longe, controlada por elas”, declarou Magda em seu artigo.

De início, empresas e governos se mostraram receosos e apreensivos em relação às questões das redes sociais e à flexibilidade por elas gerada, mas são elas que atualmente tem estruturado os mais variados nichos da sociedade, inclusive a relação das empresas com seus consumidores, e entre governo e sociedade. É mais que uma maneira de interação, é uma identidade, um novo espaço criado.